segunda-feira, 16 de abril de 2018

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Conversa do Desassossego


O desafio foi lançado pela professora de Português, Teresa Lucas: descobrir o Livro do Desassossego, de Bernardo Soares, visionar o Filme de João Botelho, com o mesmo nome e, de olhar em olhar, fragmento em fragmento, partilhar leituras, sensibilidades, reflexos, projeções, porque, como refere o poeta: «Este livro é um só estado de alma, analisado de todos os lados, percorrido em todas as direções».
Professores e alunos aceitaram o desafio da viagem que, apesar de conjunta, exigia de cada um esforço e vontade de enfrentar as intempéries em que as palavras do poeta sempre nos lançam, desassossegando-nos.
E lá fomos navegando pelas páginas do Livro, pelos fragmentos fílmicos, procurando vencer as nossas perplexidades e hesitações, até nos sentarmos à conversa com o realizador João Botelho que, como nós, também caiu em desassossego.

A conversa decorreu no auditório da Leal, no passado dia 7 de fevereiro, com alunos e professores do 12.º ano, num ambiente informal e dialogante, permitindo uma compreensão partilhada do Livro ao Filme, que o mesmo é, no dizer do poeta: «Dar a cada emoção uma personalidade, a cada estado de alma uma alma.», num contínuo Desassossego.

Manuela Martins

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

E se Rio de Mouro Tremer?

É já na próxima quarta-feira que vamos discutir na escola o risco sísmico, numa atividade do projeto Ciência, Biblioteca e Cidadania. Para o efeito, contaremos com a presença do geólogo Pedro Emanuel Fonseca, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e do escritor Domingos Amaral, autor de Quando Lisboa Tremeu. 
A sessão decorrerá no auditório da ESLC, entre as 10h e as 11h30, e destina-se a turmas do ensino secundário.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Aula aberta sobre arte urbana

No próximo dia 21 de fevereiro, pelas 13h30, vai decorrer no auditório da escola uma aula aberta sobre arte urbana. onde serão abordadas as origens e as tendências atuais deste que é um dos mais dinâmicos movimentos artísticos do século XXI. A entrada é livre mas limitada à lotação do auditório.